O Capitão

São 503 deputados. Se cada um apresentasse um projeto de lei por semestre, estaríamos perdidos (já somos os campeões de leis, adianta?).

Algumas tolas mulheres e homens de cérebros pequenos ou paixões partidárias – assim vistos por mim, que sou apartidário e jamais serei misógino, pela admiração às mulheres, em todos os sentidos, principalmente pela luta sem tréguas de valorização do gênero feminino… Vejo com nojo a hipócrita campanha do PT contra o Bolsonaro, a dizerem que ele é “contra as mulheres”.

Ao que sei, o capitão é casado e tem cinco filhos que o admiram. Sua ex-mulher veio a público para dizer que é um homem dedicado à família, dela respeitoso, sem nenhum registro de aventuras eróticas, ao contrário de Lula, que escondeu, depois negou, e, desmascarado, foi obrigado a reconhecer uma filha havida de mulher solteira (negava-se a pensioná-la).

Capitão Bolsonaro - artigo de Sacha CalmonAs diferenças de caráter entre Lula e Bolsonaro são muitas, a começar pelo fato de Lula ser um mentiroso confesso e até de se orgulhar de sê-lo, dito por ele mesmo em evento público, ao passo que o capitão tem pavor de mentira e dos mentirosos, como sói acontecer com os oficiais militares, disciplinados e patriotas, ao contrário dos civis espertalhões do PT, modelados por Lula.Como dito por Jeovah Ferreira, de Brasília: “Ele não fez parte da quadrilha do mensalão. Ele nunca andou com Lula, Zé Dirceu, Antonio Palocci, Delúbio Soares, João Vaccari, André Vargas e tantos outros corruptos que assaltaram o Brasil. Ele não ajudou a saquear a Petrobras, não recebeu propina para favorecer empreiteiras, não roubou dinheiro destinado à merenda escolar. Ele não contribuiu para doentes morrerem nas filas dos hospitais públicos por falta de tratamento digno, em virtude de os recursos terem sido abocanhados por inescrupulosos que estavam no poder. Ele não ajudou a levar a segurança pública do nosso país ao caos, não roubou bilhões dos fundos de pensão, deixando a ver navios mais de 500 mil pessoas que pensavam numa aposentadoria melhor. Ele não meteu a mão em recursos destinados a melhorar a qualidade de vida da população brasileira, tais como saneamento básico, pavimentação de ruas, postos de saúde e hospitais públicos, creches, construção de novas escolas e conservação das já existentes e lazer. Por que será que preferem que esses malfeitores retornem? Por favor, sejamos patriotas e não idiotas. Elevemos o nosso pensamento à Venezuela”. Ele não por quê?

Os incautos sobre seus 28 anos no Parlamento acusam-no de só ter dois projetos aprovados: porte de armas e penas de proteção aos policiais. Não bastam? São 503 deputados. Se cada um apresentasse um projeto de lei por semestre, estaríamos perdidos (já somos os campeões de leis, adianta?). Os romanos de milenar sabedoria cunharam o ditado Plurimae leges, corruptíssima res publica (Muitas leis, péssima república). O principal papel dos parlamentos (no parlamentarismo inclusive formam o Executivo) é, no presidencialismo, sindicar, examinar e fiscalizar em todos os sentidos, comissões, plenário e CPIs, as ações e decisões do Poder Executivo, papel obrigatório para as chamadas “bancadas da oposição”, em prol dos eleitores, o que não acontece entre nós (um país desconjuntado e um povo apático, acrítico).

Queiram ou não, essa eleição é plebiscitária. O voto no PT é no socialismo, no Estado hipertrofiado, no assistencialismo. O voto no Bolsonaro é contra o PT, sua macabra corrupção, sua vigarice e demagogia, contra o socialismo e a favor de um Estado liberal, a favor da livre iniciativa.

O PT é Cuba, Bolívia e Venezuela. Bolsonaro é EUA, economia de mercado e democracia. Essa conversa de esquerda e direita é coisa de gente ignorante parada no século passado. O PT acredita e incentiva a luta de classes somente para captar o voto das pessoas mais pobres. Quer mesmo as benesses e sinecuras do poder!

Mas não vencerão as eleições, serão rechaçados pelo povo. O que me espanta é José Dirceu e Benedita (devia ser maledita) a pregarem a tomada do poder pela força na maior desfaçatez, pois viram que pelas urnas não terão como chegar, sem o risco de ser intimados a dar explicações à polícia. Estão pregando a insurreição! (Como o Psol e o PSTU estão pregando “rebelião”!) Sendo assim, estão desde logo enquadrados em nossos direitoo penal e militar. É caso de prisão preventiva. Soltaram Dirceu! Para isso mesmo, para substituir Lula.

É certo que o ministro Lewandowski autorizou Lula a conceder entrevista coletiva à imprensa. Mas o ministro Fux, no TSE, desautorizou a entrevista. Preso com pena de reclusão e perda dos direitos políticos (voto, ser votado e voz) não pode dar entrevistas, segundo a lei. Deus acima de tudo. Lei acima de todos e eleições livres. Que venha a “vox populi”.

Faça seu comentário

%d blogueiros gostam disto: