Decisão magnífica

Finalmente, o PT mostrou a cara: é um partido filo comunista, populista, antidemocrático, assistencialista pelo interesse de assumir o poder e dele tirar partido.

O acórdão do TRF-4, unânime, confirmatório da sentença do juiz Moro que condenou o ex-presidente Lula da Silva é magnífico. Poucas vezes na vida– juiz que fui e advogado que sou – vi uma peça judicial tão bem elaborada. Embora Gebran, o relator, e Paulsen, o revisor, tenham mergulhado a fundo no caso, nem por isso Laus, o vogal, deixou de proferir inesquecível lição de direito em torno do caso.Com o seus colegas, a precisão, a clareza, sem juridiquês, a imparcialidade e a serenidade estiveram presentes em sua fala. Entraram juntos com o juízes e juristas na galeria das decisões históricas do direito penal brasileiro.

Tenho a nítida impressão de que os petistas, ao assistir aos pronunciamentos desses desembargadores, durante cinco horas, ficaram– embora não admitam– mais do que convencidos da culpabilidade do réu, cujo comportamento corrupto foi inteiramente desnudado, em razão da análise minuciosa dos fatos e das provas, essas últimas numerosas e profusas.

E dizer que o Sr. Lula responde ainda a outros oito processos na Justiça Federal por corrupção passiva, lavagem de dinheiro, ocultação de bens, prevaricação, obstrução da Justiça e outros ilícitos contra a administração pública. Lula e o PT chegaram ao fim da linha, doravante andarão a pé e esbravejando até o desmaio final.

O PT, pelo seus próceres, difundira pelos brasis que uma condenação definitiva de Lula incendiaria o país. Pois bem, ela veio unânime, incluindo decreto de prisão, após os embargos de declaração, tão logo publicado o acordão, coisade10dias, e até o momento o país está em paz. E se Lula for preso, a menos que o STF mude a sua súmula, vai ser a mesma coisa. O país seguirá em paz. Ninguém precisa se alarmar.

Está na hora, isso sim, de fazer uma devassa nas contas do PT e do Instituto Lula, bem como o MPF investigar os sindicatos, apesar de Lula ter baixado legislação tornando-os insindicáveis, o que é muito suspeito. O mesmo diga-se do MST e outros movimentos sociais, incluindo os dos artistas. Está claro para mim que o dinheiro dos nossos impostos federais saiu não apenas para as nações conluiadas ao PT (Cuba, Venezuela, Equador, Nicarágua, El Salvador, entre outras), mas para os “MSTs da vida” e uma infinidade de ONGs. Lula e Dilma haverão um dia que responder por esses desvios, sabido que quem parte e reparte fica com a maior parte

Ocorreu uma grande descapitalização do país envolvendo o BNDES, o Tesouro e o Itamaraty nos governos petistas. Da noite para o dia, anos e anos de superávits primários rapidamente se transformaram em crescentes e gigantescos déficits primários a partir de 2010. No ano do impeachment de Dilma, chegamos a gastar R$ 188 bilhões além da receita tributária de 33% do PIB. É muito estranho. O TCU já detectara várias irregularidades orçamentárias nas paraestatais. Lembrem-se de que por duas vezes, o TCU se negara a aprovar as contas do governo de Dilma, gerando grande mal-estar para ser resolvido.

Dilma era “durona” para o público externo e para com seus funcionários, mormente os inferiores, mas era servil a Lula e às suas trapaças, fato que ninguém duvida, tanto é que assombrada com o juiz Moro, a quem se atribuía a iminente prisão de Lula, mandou o Bessias, seu assessor, entregar um ato oficial que transformava o ex- presidente em ministro de Estado para lhe dar foro privilegiado.

Finalmente, o PT mostrou a cara: é um partido filo comunista, populista, antidemocrático, assistencialista pelo interesse de assumir o poder e dele tirar partido. É o que se deduz das declarações de seus asseclas publicadas pela imprensa. Diz Stédile, líder do MST: “Aqui vai um recado para ‘a dona’ Polícia Federal e ‘seu’ Poder Judiciário– não pensem que vocês mandam no país, não aceitaremos de forma nenhuma e impediremos que Lula seja preso”. O senador Humberto Costa seguiu-se lhe: “A única maneira de barrar o golpe e garantir a candidatura Lula é ir às ruas e partir para a desobediência civil” (desrespeito às leis e decisões judiciais).Vagner Freiras, da CUT, segue a mesma linha: “Estão achando que vamos ficar de braços cruzados…Vamos enfrentá-los nas ruas e desautorizar o TRF-4”. Isso é insurreição ou o quê? O que mais será? Conversa de parlapatões? Talvez! Mas as Forças Armadas devem se preparar para evitar a anarquia e danos aos bens públicos, em prol da tranquilidade do povo brasileiro. Resta evidente que o PT não quero poder em nome e para o povo, quero poder para sie para dominar o povo, em total desrespeito às normas da democracia e aos poderes da República.

Faça seu comentário

%d blogueiros gostam disto: