A perfídia a ser combatida

É indeclinável mostrar as relações promíscuas do PT, Lula e Dilma com os grandes grupos empresariais.

Erra, profundamente, o governo da República em assumir postura olímpica e caracterizar como de grupelhos as movimentações do PT, PCdoB, MST, UNE, sem tetos, sindicatos, diretórios acadêmicos e mesmo os desocupados contratados a troco de pão com salame. Eles repetem palavras de ordem pelos brasis afora, como “Fora, Temer”, “Volta, Dilma”, “Diretas já” – atos impossíveis em face da Constituição. Como grande parte do povo é ignorante, as manifestações do PT são desagregadoras, por ilegitimar, atrapalhar e até influenciar o Congresso, a prejudicar o governo e o PMDB nas eleições municipais de outubro. 

A perfídia a ser combatidaÉ fundamental ter em mente a existência de uma mídia petista paga (o PT é riquíssimo) e que tem grande quantidade de “inocentes úteis” na academia e na imprensa vista, lida e falada, a dar declarações com repercussão internacional negativa. 

Apenas para argumentar, os protestos incabíveis dos baderneiros obscureceram os “negócios” do PT, saqueando os fundos de pensão dos aposentados das empresas estatais, que eles tanto exploraram e prejudicaram: Banco do Brasil (Previ), o maior fundo de pensão da América Latina, Caixa Econômica Federal (Funcef), Correios (Postalis) e Petrobras (Petrus). Estima-se que os prejuízos podem alcançar R$ 50 bilhões. 

Ao que tudo indica, o PT não tem mesmo dó dos trabalhadores aposentados. Depois de o ex-ministro Paulo Bernardo, casado com a senadora Gleisi Hoffmann, cobrar comissões indevidas deles e de pensionistas nos empréstimos consignados, vem agora essas trampas dos fundos fechados de complementação de aposentadorias das estatais. Como combaterão, os petistas, a reforma da Previdência, esses ex-funcionários, mormente os que estão hoje na ativa, caminham para a miséria na velhice. O PT é pior do que Átila, rei dos hunos. Por onde passa, a terra fica arrasada. 

Impõe-se criar um grupo de trabalho no governo Temer e partidos outros da situação para listar os crimes do PT na Lava-Jato, na Petrobras, na Eletrobrás, nas refinarias, seus desvios de verbas, bem como dos dinheiros mandados de graça para Cuba, Angola, Nicarágua, Venezuela, Moçambique etc. (há semanas Temer anulou, sem alarde, a doação prestes a ser feita a Moçambique de três aviões Super Tucano). 

É indeclinável mostrar as relações promíscuas do PT, Lula e Dilma com os grandes grupos empresariais como OAS, Odebrecht, empreiteiras em geral, Eike Batista, grupo JBS, Sete Brasil, para engordar fundos partidários e pessoais mediante propinas e “caixa dois”, enfim, toda a safadeza antiética desses vendilhões da pátria e seus arruaceiros de plantão.

É urgente a Polícia Federal investigar quem financia os movimentos sociais e organizações não governamentais. O ex-governo do PT fazia isso. Agora é o próprio partido? Os chamados movimentos sociais, a instrumentalizar a violência e o desrespeito contínuo aos direitos fundamentais alheios, tais como a liberdade de ir e vir, de trabalhar, de expressão, de integridade física e de propriedade, não podem ficar impunes. Devem ser reprimidos. Não se trata de liberdade de expressão, mas de sedição política contra a Constituição. 

Eu diria, até, que filmes e documentários se fazem necessários para inserções na TV. E também depoimentos radiofônicos de gente séria para avivar a memória do povo a respeito desses políticos demagogos e aproveitadores da boa-fé do povo e dos que de verdade professam o socialismo. 

A tática deles, agitadora, doravante é fazer greve, atrapalhar a vida alheia, caluniar, difamar e distorcer todas as políticas do governo legítimo da nação, nos termos da Constituição, destinadas a soerguer o país destroçado pelo governicho deposto do PT.

 Os ladravazes querem se fazer de vítimas para confundir a sociedade. Eles não querem o bem do povo, nem o progresso do Brasil. Querem voltar ao poder para enganar a nossa gente, unir-se aos corruptos e esganar a nação. Calcula-se que os tais 40 milhões de pessoas que o PT teria resgatado da pobreza para lá voltaram, acompanhados de mais 10 milhões, segundo cálculos preliminares dos órgãos de estatística do governo brasileiro. 

O discurso de pacificação de Temer é verdadeiro e deve continuar. Seu destino é colocar o país nos trilhos, sem pensar em reeleição. Deve mandar logo uma emenda constitucional nesse sentido. Mas não basta. É preciso bater com vontade no PT. Ele faz por merecer. Democracia é uma coisa, baderna igual à da Venezuela é outra, como é usual entre as facções do bolivarianismo ou dos partidos do foro de São Paulo, idealizado por Lula, para instaurar na América Latina o tal socialismo do século 21, ora em processo de desagregação no continente sul-americano e na América Central. Ainda bem!

Faça seu comentário

%d blogueiros gostam disto: