Artigos e crônicas de Sacha Calmon Navarro Coêlho sobre questões cotidianas.

O esplendor do império português

Sacha Calmon À D. João II deve-se a empresa Transoceânica, mas ele não chegou a vê-la em seu esplendor. D. Manuel, o Venturoso, viveu o apogeu do império português – marítimo e mercantil – que durou cerca de 50 anos. Nesse período, não apenas de riqueza e comércio, mas de poderio naval, comercial e militar, […]

leia o post


A Conquista da Ásia – O apogeu do Império Português

Sacha Calmon Depois das ágeis e velozes caravelas havia agora o “barco redondo”, com capacidade de seiscentas toneladas. A ponte fôra colocada para detrás da proa. À ré, no convés superior, foram instalados os canhões de carregar pela culatra, de tiro rápido e trajetória na horizontal (devastadores), de tal modo que ninguém se atrevia a […]

leia o post


Pêro de Covilhã descobre o caminho das Índias

Sacha Calmon Reinava em Portugal o seu maior Rei, D. João II. Pêro, da cidade de Covilhã, ao pé da Serra da Estrela, dele recebeu a missão de descobrir o caminho marítimo das Índias, mas por terra! Falava veneziano e árabe à perfeição e tinha facilidade para línguas. A 17 de maio de 1487, cinco […]

leia o post


A batalha de Aljubarrota e consolidação do reino

Sacha Calmon Dois séculos e meio se passaram desde que D. Afonso Henriques, o fundador do reino de Portugal, com a ajuda dos Templários (Segunda Cruzada), conquistara Lisboa, há três séculos em poder dos mouros, levando o território portucalense do Minho até além do Tejo, ao sul. Corria a década de 1380. D. Fernando e […]

leia o post


O maior e mais trágico amor e as intrigas da Côrte

Sacha Calmon É consabido que, no tempo dos reis e de suas dinastias, os casamentos eram atos de alta diplomacia, política de Estado. O amor romântico ainda estava por nascer na Provence (Provença), junto com o perfume. Por toda antiguidade, na Grécia, na Pérsia, na China, nas Arábias ou entre os hebreus, a mulher era […]

leia o post


Pág 4 de 6123456